POEMAS EM PORTUGUÊS (XX)



SEMPRE COIMBRA!

Ai Coimbra,
a tua lembrança,
é a minha pena,
e a minha alegria.

Coimbra! Tu és a Almedina,
és a universidade e Santa Cruz,
és o Mondego e o comércio,
és a romana Conímbriga.

Coimbra! Fado da vida,
guitarra e voz virtuosa,
trova do vento e do tempo,
Coimbra, sempre Coimbra!